terça-feira, 23 de agosto de 2011

E há mais...

Desta vez estou mesmo a precisar de dinheiro para ajudar a família.
Não sei como mas isso torna-se conhecimento de uma qualquer máfia que se estabeleceu aqui mesmo em Lisboa. Sou então contactada. Oferecem-me 100 mil euros para casar com alguém. As únicas condições exigidas são umas fotos que tenho que tirar com o homem em casa dele.
Será que arrisco? O dinheiro mudará o sentido de tudo o que está a acontecer em meu redor. Valerá a pena? Que me poderá acontecer? Morrer... não morrerei eu se continuar nesta situação?
Arrisco.
Há hora combinada vão buscar-me ao aeroporto. Destino desconhecido. Metade do dinheiro na conta.
Chego a Itália e penso:
- Porque é que alguém em Itália precisa casar comigo?
Ignoro. Metade do dinheiro já me entorpece os sentimentos e pensamentos.
Sigo viagem até uma espécie de villa. Adoro. Decido desfrutar da situação mas os nervos não desaparecem. Não sou tão corajosa quanto quero transparecer.
Dão-me vários vestidos e deixa-me num quarto lindíssimo. O vento entra por uma janela e os cortinados parecem acariciar a minha pele. Será que estou a viver um sonho, será que vou acordar num pesadelo?
Tantas histórias más que já ouvi sobre experiências como estas em que um mundo é oferecido a raparigas e o que recebem é um lugar escuro e sombrio.
Tomo banho e visto-me. Em breve entrará um fotografo como combinado.
Finjo um sorriso, finjo uma imagem de mim que só uma máquina poderia capturar.
Vou para o campo. Cheiro flores, olho o sol e nada de ver o meu noivo.
Estranho ainda mais.
Que quererão de mim? Sou então acompanhada a casa novamente por pessoas sorridentes. Oferecem-me jantar e mais fotos sentada numa mesa. E de repente tudo acaba. Volto para o meu quarto mas não consigo dormir. Sinto uma inquietude inerente à situação. O medo consome-me por dentro. Onde está o meu noivo? Porque será que a imagem do meu noivo me parece acalmar. Adormeço assim , demasiado cansada para protestar contra mim própria.
Acordo com o som de alguém a bater à porta. Abro e entra uma senhora de meia idade que carrega um tabuleiro com uma flor, um bilhete de avião e um recado.
" Voltarei a ver-te no dia nosso casamento"

Cont....

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Há dias assim...

Hoje não sei porque acordei assim aborrecida.
E quando estou aborrecida, pensativa, tenho uma mania ( desde pequena ) de sonhar acordada com outras vidas. E quando falo outras vidas, falo em outros caminhos, outras pessoas.
Gosto imenso. Fecho os olhos, o trabalho assim mo permite, e por momentos imagino-me em situações de verdadeiro entusiasmo e conforto. Acho que tudo isto se deve às minhas memórias de infância, quando a minha avó inventava histórias para nos acalmar de dia excitantes e muito divertidos.
Imaginem vocês também:
- Sou uma mulher muito rica mas com uma extrema necessidade de me recolher e descansar. Compro então uma cabana, no meio dos Alpes Suíços, cuja forma de chegar é unicamente por helicóptero.
E lá vou eu para o meu lugar perfeito. Uma cabana quente, no meio da neve, sem televisão, sem Internet, sem ninguém. Só eu .
Uma lareira enorme, um tapete felpudo, e 1001 livros perfumados por chocolate quente.
Passo os meus dias assim... Leio, cozinho, durmo, oiço musica, recordo....
Dois dias antes de voltar à minha vida activa, oiço um estrondo vindo lá de fora. Como se algo chocasse contra a parede da cabana e corro para ver o que é. E é assim que o vejo pela primeira vez, caído aos meus pés. De onde veio, o que o trouxe?
É alguém.... alguém que sem querer, veio ter comigo. Está inconsciente. Estará ferido?
Levo-o para dentro e tento chamar a protecção civil mas algo corre mal. Está a cair um nevão demasiado intenso e o rádio não funciona.
Volto para junto do corpo quente que lentamente arrefece. Que faço eu? Quem será? Será perigoso? Decido arriscar. Tiro-lhe a roupa molhada e deito-o no tapete felpudo. Não tenho força para mais. E se acorda? E se é mau? Será que o devo prender?
Enfim acorda. Pergunta-me quem sou, que faz ali. Não lhe sei responder.
Pede-me para ir à casa de banho. Vai....

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Odeio

Sabes que tenho um pequeno odeio de estimação, daqueles a que ninguém liga, só eu???
Vou vos contar.
Odeio o facto das pessoas usarem óculos de sol na cabeça durante o trabalho. Existe coisa mais foleira? Ver gente sentada numa secretária o o brilho dos óculos a ofuscar-me a visão é pesadelo total.

Enfim , deve ser da neura que estou hoje.

  Fujammmmmmmmmmm

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Wishlist

My Zara wishlist.


CASACO CRUZADO     GABARDINA CRUZADA
VESTIDO C/ CAVASVESTIDO ASSIMÉTRICO
MINISSAIA DE RENDASAIA COMPRIDA

CALÇAS CAPRICALÇAS C/ PINÇAS


CASACO C/ ALAMARESCAMISOLA PONTO INGLÊSBLUSA ÀS BOLINHASCAMISA ÀS BOLINHAS                                  

PALA E CALCANHAR COMBINADOBLUCHER PELEBOLSA SHOPPER TRANÇASHOPPER CROUTE






Praia

Toda a gente já deve ter reparado que este Verão mais parece uma Primavera com cheiro a Outono. Eu não me importo muito com isso pois não tenho grandes férias nem posso fazer fins de semana de praia por causa da miúda.
Mas o que eu mais adoro ver neste tempo são os resistentes. Aqueles que independentemente de estar um frio do caraças na praia, estão lá batidinhos às 8h da matina. E acreditem que há imensos. Todos os dias são o meu divertimento sempre que vou trabalhar.
Ahhhh e alguns ainda têm a lata de abrir o chapéu de sol.
Nem com a miúda eu me atreveria a ir para a praia com o frio de rachar que se faz sentir de manhã.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Encomendas online.

Adoro fazer encomendas online, adoro quando chegam e as posso abrir . É  Natal outra vez.
Contudo, odeio quando as encomendas não são nada parecido com aquilo que pedi, o que aconteceu hoje de manhã.
Como tenho tenho um trabalho muito exaustivo (tanga) passo muito tempo na net e acabo sempre por cometer loucuras com o meu cartão de crédito. Desta vez, não posso considerar que fosse uma loucura mas, independentemente do preço, o que vos parece encomendar algo ( supostamente de madeira) e receber algo feito de esferovite???????





quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Médica

Desde que me mudei aqui para as redondezas de Cascais, que tenho um medica nova no centro de saúde. E desta vez tive sorte, a médica é muito competente e simpática.
Como já nao tinha uma consulta há imenso tempo ( since I had Ema) decidi marcar uma e como tinha que lá levar a Ema aproveitei.
Os exames que tinha feito antes estavam normais e quando ficamos sem assunto dei por mim a falar dos meus problemas.
Ando nervosa ultimamente, muito nervosa mesmo e descarrego com as pessoas. Com o meu namarido já nem falo, grito. Os meus colegas de trabalho meteram-me a alcunha de bossy e os meus amigos dizem-me que devo relaxar.
Quando fui de férias ( quatro dias) levei os primeiros dois dias a tentar controlar-me. Tudo me provoca um ataque de nervos, desde o facto de alguém deixar areia( da praia) no bidé quando lavou os pés, desde ficar furiosa se adormeci por dez minutos. Enfim, nem sei que vos diga.
Aconteceu também, ir sozinha aos saldos, passar um tempinho para mim e quando cheguei a casa, como a roupa não estava estendida ter começado a chorar desalmadamente.
O que se passa comigo. Não consigo compreender. Parece que estou sempre prestes a chorar ou a bater em alguém. Que estou sempre alerta e na defensiva.
A médica aconselhou-me ir para a Hidro ginástica e para tirar mais uns momentos para mim e para o namarido. Mas sinceramente não sei se isso vai ajudar. Acho que sair só com ele já não faz sentido pois nós somos uma família.
Tenho que parar para pensar. Ando cansada.
Vou tentar a hidro ginástica.