sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Olá, tudo bem?



                                                                   Afinal é fim do mês :)

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Vestidos compridos

Eu e a minha pancada por vestidos compridos. Em parte é por achar que tenho as pernas feias, outra é por me sentir uma princesa com eles :)


Vestido acetinado estampado
 
EUR89.99 Mango
 
Vestido comprido crepe lantejoulas
 
EUR109.99 mango
 
Vestido comprido cinto trançado
ou
Vestido comprido cinto trançado
 
EUR39.99 Mango

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Projecto esquecido

Epah esqueci-me de postar aqui as fotos da transformação do presépio da minha mãe!
Não é que a senhora o ia deitar fora.
Eu como tenho a mania de aproveitar tudo, decidi restaurar! Enfim, não ficou grande coisa. Valeu pelo esforço. Para o ano tento fazer dele qualquer coisa melhor.






 
 

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Mais um contrato!

Olá meninas. Passei aqui só para vos dizer que assinei mais um contrato de três meses...
Iupiii. Agora só em Maio :)

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

A folha de papel


Gostava de saber porque é que as pessoas só escrevem quando estão tristes. Porque é que dessa tristeza saem sempre textos bem elaborados, cheio de sentimento de cheiro. Será porque nos sentimos sozinhos? Será esta folha de papel a nossa melhor amiga, a nossa companheira que ouve sem questionar, sem nos tirar a razão? E depois... Será que nos limpa as lágrimas e coloca a sua mão sobre a nossa cabeça dizendo que tudo vai passar no meio das suas linhas molhadas do choro? E porque é que deixamos de comer, o então comemos demais? Já não basta o mal que nos fazemos a nós próprias ao viver assim? Enchemos-nos de vazio, de tabaco aos montes... Dói-nos a cabeça, e mesmo assim não pensamos noutra coisa? Quando é que o sonho acabou, quando é que temos que dar instruções às pessoas para nos amar. Ah e tal ... se tivesses feito isto e aquilo e acolotro... ah e tu se não tivesses dito aquilo como seria? Como seria? É como queríamos? E se fosse como queríamos, não perderia a piada? Seriamos felizes se concretizássemos todos os nossos sonhos? Acho que não, vejo que não. O Aladino também percebeu que não. Oh para mim, que tanto desejei sem pensar nos senãos... sem sair do mesmo sitio, sem mudar sequer o meu ponto de partida. Terá assim a vida algum significado senão terminarmos de preencher esta folha nossa amiga? E como está o mundo à nossa volta? Feliz, infeliz? Será que existe mesmo a alegria ou será esse o Santo Graal da vida sem sentido, sem tocar ? Tanta pergunta te coloco eu minha folha amiga. Será que amanha me respondes? Ou talvez para o ano, ou para o outro? Não me importo de esperar... já me habituei a essa espera... só tenho medo que não me respondas e que a minha vida se torne uma espera contínua entre pratos para lavar e roupa para passar a ferro. Não me deixes passar esse testemunho a ninguém, não deixes que a espera seja tão continuada que depois de eu partir ainda haja alguém a olhar para ti folha, há espera que respondas. Esta na altura de acabar esse suplício, de passar testemunhos irreais como o que me passaram a mim. Se não quiseres responder, diz logo que não. Não nos deixes procurar respostas noutros lados, noutras pessoas ... mas principalmente não nos deixes. Mascara-te de nós, ensina-nos a ver o que tu vês. A responder em espaços brancos e a não deixar que o branco se torne a nossa vida ou os nossos sonhos. Se isso for demais para pedir, tira-nos os sonhos que não nos levam a lado nenhum, cheios de senãos e adversidades. Tira a capa do sol, deixa-nos olhar para ele e saber que está lá e que não é sonho. Tira-nos a dor de cabeça, a vontade de vomitar o mundo , de engolir tudo o que não pudemos ter. Tira-nos a roupa, obriga-nos a andar nus e a começar de novo. Escreve as tuas respostas no vento , na água e não naquela folha de parreira para onde inicialmente começamos à procura de respostas... Tira-nos a mãe, o pai e o irmão, e principalmente o coração. Tira-nos o arrependimento do amanha, tira-nos o amanha. Senta-te comigo, afaga os meus cabelos, fecha-me os olhos só para te escutar. E a vida, será que essa podes tirar? Será que se pode tirar o que nunca se teve. Maldito testemunho o que me passaram, fardo carregado este de te esperar. Vou dormir... vou fazer tudo eu, fechar janela da curiosidade, desligar o relógio do tempo e tentar não pensar no amanha pois já vivi o hoje. E o hoje de hoje em que não me respondeste ò folha.

Confort food II



 
Bife com batatas fritas!
Bife esse que foi previamente cortado e refrito em muito alho! AMO

Uma pessoa já está atrasada para o trabalho

e ainda se mete a tirar fotos destas:


Prendinha da amiga P. (trouxe de Londres) e o menino que saiu numa bola tirada pela  Ema.

 


 
Prendinha de Natal da cunhada.

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Antes do Natal

O tão esperado projecto dos botões resume-se a isto:

-Separei os bichinhos com a ajuda da minha miúda.

 


- Escolhi os botões mais claros e deixei-os de molho em lixívia a noite toda.


- Comprei uma tela no chinês e um tubo de tinta castanha e arrisquei fazer uma árvore.
 


- Cosi alguns botões e eis o resultado.

 
Foi uma boa experiência! Já ando a pensar em projectos maiores e mais trabalhosos. Este foi para o escritório da minha amiga Inês! Espero que ela tenha gostado.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Confort food III


 
                           Mas há mal neste mundo que um bom bolo de banana não cure?

Vá ... um sorriso pequenino!



                                                          Tenham um excelente dia :)

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

O livro mais desejado.



                                                                      Já cá canta!

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

O meu amor!



Não me considero uma pessoa sortuda em relação ao amor! Já tive vários mas não fiquei com nenhum! Sempre sonhei com romances cor de rosa, com o amor eterno e secalhar por isso é que decidi estudar literatura. Queria viver feliz para sempre com alguém, queria cuidar de alguém, ser cuidada.
Mas nada disso aconteceu até agora!
Posso, no entanto, dizer que com 32 anos já conheci o amor da minha vida! Tive a prova disto esta noite.
Foi numa festa de Santo António tinha eu 21 anos. Sai com uns amigos e enquanto percorria as ruas do castelo,  viu-o encostado a um poste (Largo do Contador Mor) a falar com umas e reconheci um colega de trabalho! Fomos apresentados! Lembro-me tão bem. Parecia uma indiano gigante. Alto, magro e com um nariz gigantesco! Tinha os dentes tortos mas estava extremamente bem vestido. O cabelo estava penteado com gel como se usava na altura e pele brilhava no escuro.
Conversamos, flirtarmos e acabamos por nos perder mas sem antes trocar de número de telemóvel.
Voltou a encontrar-me e foi assim que demos o primeiro beijo junto à caixa de multibanco do miradouro de Santa Luzia


segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

O meu momento Ryan





                                                                Mega confortáveis


 
Esta é a cara do meu menino ao reparar q eu lhe roubei os sapatos enquanto dormia:)

sábado, 1 de fevereiro de 2014