quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

A vida

A minha melhor amiga, já falei dela aqui, teve um ano a tentar engravidar. Era desesperante assistir à tristeza dela sempre que o período lhe aparecia.
Certo mês deixou de lhe aparecer. Fez o teste e viu que estava grávida.
Nesse dia, eu estava deitada numa marquesa, à espera de ser operada pela primeira vez. Uma semana depois, fui convidada para ser madrinha do bebé. Continuava deitada numa cama do hospital. Passaram-se dois meses e ainda lá estava. Comecei a fazer a quimio e a bebé desenvolvia-se a olhos vistos. É uma menina. Vai chamar-se Francisca.
Ontem fiz o ultimo tratamento e a Rita começou com contracções. Amanhã tiro a bomba pela ultima vez ( Assim Deus queira) e o bebé deve nascer. A minha afilhada.
 Gostava de ter palavras para descrever o que tudo isto significa para mim e para a Rita. Podia ser coincidência mas não é. Não pode ser.
Isto é a pura essência de Deus, de inicio e de fim, da vida e da morte.
Não quer isto dizer que vou morrer mas tenho consciência que por momentos estive lá bem perto.
Por agora estou safa amigas. Cancer free. Por agora :)


PS: Por favor não me venham com comentários lamechas pq eu nao preciso disso. Alegria companhia :)

4 comentários:

Jo disse...

Muitas coincidências mesmo... :) Que bom, boas notícias!

lolita disse...

Não é coincidência, é um sinal da vida. Fecha-se um ciclo e começa-se outro, o da vida :) Beijinhos

ce. disse...

Só boas noticias :)
Fico feliz!
bjs

lolita disse...

A Francisca já nasceu? Já és madrinha babada? :)